Autor Tópico: [D&D] Eberron  (Lida 38661 vezes)

0 Membros e 2 Visitantes estão vendo este tópico.

[D&D] Eberron
« Online: Março 15, 2012, 03:27:14 pm »
Como existe já um bom número de textos, eis aqui um Índice deles:

Raças

Goblins de Eberron
Orcs de Eberron
Sobre os Forjados
Sobre os Quoris e os Inspirados
Dos Drows (Retirado do Keith Baker)
Dos Elfos (Meu favorito :) )
Dos Rakshasa (Bem curto)
Gnomos de Eberron - História e Introdução
Gnomos de Eberron - Sociedade, Tecnomagia e a "Trust"
Zilargo vs Casa Canith (Retirado do Keith Baker)
Sobre as Casas (Retirado do Keith Baker)
Sobre os Changeling I
Sobre os Changeling II

Religiões e Crenças

O Sangue de Vol
Como os fiéis do Sangue agem (Retirado do Keith Baker)
A Chama Prateada
A Hoste Soberana

Marcas e Casas Marcadas pelo Dragão

Sobre as Marcas - Introdução
Sobre as Marcas - As Casas Marcadas pelo Dragão
Sobre as Marcas - Guia do Jogador

Nações

Valenar
Darguun

Magia

Magia, Tecnomagia e Tudo Mais I - Introdução e Classes
Dragões de Eberron

Como rolou um chorinho no shoutbox, hora de colocar aqui um tópico sobre belo cenário "Eberron: . Para não me acusarem (?!) de favoritismo com a Velha Spell, expandi as ideias iniciais e a lista. Resumir Eberron é uma tarefa difícil, mas vou tentar apontar o que me chama atenção nele e porque o cenário é o Magnum Opus da Wizards of the Coast (assim como Planescape foi a da TSR).

1. Eberron é familiar... e estranho.

Quase tudo de Eberron remete aos tropes mais básicos de D&D, mas eles são exibidos de forma a soarem diferenciados e incomuns. Aqui os Elfos são magos hábeis, praticamente imortais,  que moram numa ilha isolada... exceto que eles são mestres em necromancia, cultuam seus ancestrais de forma a preservá-los eternamente (e formar uma Corte de Imortais, cujo poder beira o divino) e alguns Elfos veneram seus ancestrais de forma a emular seus feitos - no campo de batalha. Halflings são viajantes, itinerantes e simpáticos donos de estalagem... que montam em dinossauros (uma das suas culturas) e são temidos por essa habilidade.


Direita para Esquerda: Um elfo de Khorvaire, um Elfo de Valenar e um Elfo de Aeranal

2. A magia é uma forma de tecnologia

Ao contrário de muitos cenários de D&D, em Eberron a magia poderosa, épica e incrível é excepcionalmente rara. Contudo, poderes mágicos mais simples são comuns e espalhados e existe uma casta de "técnicos em magia" que a usam para iluminar as cidades, fornecer água potável, construir veículos voadores e coisas que são similares ao que nós chamamos de tecnologia. Mas não se engane, Eberron não é Steampunk - e sim Tecnomágico (quase toda forma de tecnologia deriva de princípios mágicos).


Admito: Nem os magos de Netheril fariam algo tão cool quanto esse Lightning Rail.

3. As Religiões são presentes - mas não os Deuses

Ao contrário de outros cenários de RPG, em Eberron ninguém tem certeza que as divindades realmente existem - ou seja, ninguém consegue bater um papo com eles em algum plano superior. Poderes atribuídos aos deuses (magias divina) existem e todo mundo sabe disso, mas não se sabe se os Deuses que realmente a cedem ou se é a Fé Mortal que os acessa. Isso mostra um dos diferenciais mais notáveis do cenário, onde Clérigos não tem que refletir claramente a tendência da divindades, podendo existir Clérigo Malignos de divindades Bondosas - com tanta fé e certeza da sua causa quanto aqueles que são Bondosos (Eberron já exibia isso em D&D 3.5 - a 4e continuou com isso e usa algo simillar em seu "Pontos da Luz").

Dessa maneira, existe até mesmo a possibilidade que os Deuses não existam - e existem ao menos duas religiões coerentes e relativamente bem aceitas que não cultuam divindades propriamente falando.


Gatekeepers - Quê? Você acha que os Elfos iriam salvar o mundo? Pense de novo.

4 . Nem tudo que parece um Monstro é um - as vezes eles são bons pagadores de impostos.

Goblins são uma raça antiga e com um passado glorioso - e são protegidos por leis tanto quanto o Elfo da esquina. Medusas, Ogros e Minotauros estão formando uma nação própria guiadas pelas Filhas de Sora Kell, cuja aceitação está crescendo, assim como os Goblins, Hobgoblins e Bugbears, liderados pelo esperto Lhesh Haruuc. Orcs tem uma cultura druídica muito antiga e sábia - e eles já salvaram o mundo de uma invasão extraplanar no passado.


Tradução: Uma das criaturas na imagem é um membro de um cultura druídica milenar dedicada a salvar o Mundo de Horrores Inomináveis. O outro é um valentão em busca de briga.


5. É o mundo vasto e novo

O continente principal do cenário (chamado Khorvaire) acaba de passar por uma série de imensos conflitos que duraram uma centenas de anos (a Last War) e tais conflitos não foram resolvidos de forma satisfatória, com a grande Nação de Galifar fragmentada em 4 outras nações (com uma quinta que foi explodida e virou uma No-Men's Land onde quase ninguém tem coragem de vagar - e não sabe como e porque isso ocorreu).

Fora de Khorvaire, existem grandes continentes, como a tropical e misteriosa Xen'Drik, terra de gigantes e coisas muito estranhas, além de Sarlona, habitada pelos estranhos, belos e incrivelmente exóticos Kalashtar e seus rivais (tão belos e exóticos quanto) Inspirados, ambos exibindo exóticos poderes mentais. E além da vista de todos, bárbaros selvagens e um número imenso de Dragões habitam o continente de Argonessen, onde quase nenhum explorador conseguiu explorar além de suas praias.


Inspirados - a elegante nobreza de Riedra. E oponentes dos piores pesadelos para heróis eberronianos

6. É um mundo cinzento... onde pode existir o preto e branco

Como se brinca entre os fãs, Eberron é o cenário onde um Rei Vampiro Leal e Mau é um defensor ardente da paz e o maior opositor de um culto maluco de mortos-vivos e onde a Rainha Neutra e Boa quem invadir e reconquistar todos as nações que formavam Galifar. Por sua inspiração "noir", o cenário foi feito para que exista espaço de sobra para o heroísmo, decência e "Modo Tolkeniano de Agir" - mas ao menos tempo, essa postura é escondida atrás de uma dose de cinismo e de um mundo onde o fato de alguém ser bondoso não assegura que essa pessoa será seu aliado ou mesmo que ele será agradável e gentil.


(Ao som de Skids - The Saints are coming!)

7. Antagonistas - não necessariamente Vilões

É uma consequência lógica do (6). Existem diversos conflitos no cenário cujos lados que se opõe não nitidamente vistos como "Bom" ou "Mau". Em Thrane, há o conflito entre os Monarquistas contra os Teocratas da Chama Prateada (uma das organizações mais bondosas do cenário - mas formam ele um bom governo?). Em Karrnath, o uso de mortos-vivos como soldados é visto com desconfiança e há uma crescente oposição ao Sangue de Vol - mas havia outra alternativa durante a Last War? Sem contar com o conflito entre a Luz de Syberis (um grupo paladinóico e itinerante de Dragões) contra a Corte Imortal, com o ninho de intrigas que são as as Dragonmarked Houses.


E mais importante: É um mundo onde os "asiáticos" estão mais próximos de 1984 do que do Anime Genérico do Ano
« Última modificação: Janeiro 05, 2014, 08:37:09 am por Heilel »

Offline Rain

  • “Nada é verdade, tudo é permitido”.
    • Ver perfil
Re:[D&D] Eberron
« Resposta #1 Online: Março 15, 2012, 04:03:57 pm »
Não é segredo que eu gosto muito de Eberron.
Na realidade sou suspeito a falar sobre o mesmo, ja que o acho o melhor cenario para D&D (superando os antigos cenarios base como DS, FR e Dragonlance)

Eu já traduzi material do cenário e tenho uma ENORME vontade de criar um site brasileiro sobre Eberron. O problema é tempo, sozinho eu não consigo

Sim, recomendo a todos que escutem o excelente Podcast sobre o cenário no rolando 20 (principalmente para os que não o conhecem)
La vai os Links 
http://www.rolando20.com.br/episodio-28/
http://www.rolando20.com.br/episodio-30/

E é claro o Podcast sobre A Ultima Grande Guerra (Que o elfo esqueceu de mencionar!)
http://www.rolando20.com.br/episodio-39/
« Última modificação: Fevereiro 17, 2013, 09:53:36 pm por Rain »
"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância."
"Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância."

                                                        Sócrates

Re:[D&D] Eberron
« Resposta #2 Online: Março 15, 2012, 04:09:24 pm »
Ta ai outro cenário que eu sempre tive vontade de conhecer a fundo, mas não consigo por causa do meu inglês titica
« Última modificação: Março 15, 2012, 04:11:04 pm por Sidney »
War never changes

Re:[D&D] Eberron
« Resposta #3 Online: Março 15, 2012, 04:10:41 pm »
Citar
E é claro o Podcast sobre A Ultima Grande Guerra (Que o elfo esqueceu mencionar!)

Claro que mencionei ela (a Last War, não o Podcast), olha esses trechos:

O continente principal do cenário (chamado Khorvaire) acaba de passar por uma série de imensos conflitos que duraram uma centenas de anos (a Last War) e tais conflitos não foram resolvidos de forma satisfatória, com a grande Nação de Galifar fragmentada em 4 outras nações (com uma quinta que foi explodida e virou uma No-Men's Land onde quase ninguém tem coragem de vagar - e não sabe como e porque isso ocorreu).

E:

Em Karrnath, o uso de mortos-vivos como soldados é visto com desconfiança e há uma crescente oposição ao Sangue de Vol - mas havia outra alternativa durante a Last War?

Offline Lumine Miyavi

  • "I am- you can call me... Red mage."
    • Ver perfil
    • Phieluminando
Re:[D&D] Eberron
« Resposta #4 Online: Março 15, 2012, 04:37:32 pm »
Ah, Eberron. Um cenário onde eu posso jogar com um pseudociborgue e pular sobre  trens em movimento sem ser viagem minha!

Blog do Lumine, PhieLuminando!
Avatar Atual: Red Mage, (Romancing Saga: Minstrel Song, ps2)

Re:[D&D] Eberron
« Resposta #5 Online: Março 15, 2012, 05:14:56 pm »
Citar
Um cenário onde eu posso jogar com um pseudociborgue e pular sobre  trens em movimento sem ser viagem minha!

Qualquer cenário cyberpunk que se preze permite isso por padrão, Lumine. E presumo que Exalted permita o mesmo.  :b

Re:[D&D] Eberron
« Resposta #6 Online: Março 15, 2012, 08:26:50 pm »
Eberron é um cenário no qual nunca joguei nem li os livros básicos, e mesmo assim adoro. O conhecimento que tenho vem só de textinhos que vejo aqui ou ali (tipo esse do elven) e do DDO (que infelizmente não consegue passar todo esse feeling até o nível em que eu joguei, exceto a parte das casas e facções diversas).

OBS: Esse é um tipo de post que não vai gerar muita discussão, mas seria perfeito para ficar na página inicial...

Offline Lumine Miyavi

  • "I am- you can call me... Red mage."
    • Ver perfil
    • Phieluminando
Re:[D&D] Eberron
« Resposta #7 Online: Março 15, 2012, 08:48:06 pm »
Citar
Um cenário onde eu posso jogar com um pseudociborgue e pular sobre  trens em movimento sem ser viagem minha!

Qualquer cenário cyberpunk que se preze permite isso por padrão, Lumine. E presumo que Exalted permita o mesmo.  :b
Ô, até que sim. Mas não na fantasia medieval sem "desvirtuar" (leia-se, deixar interessante) o cenário.

Blog do Lumine, PhieLuminando!
Avatar Atual: Red Mage, (Romancing Saga: Minstrel Song, ps2)

Offline Cebolituz

  • What am I fighting for?
    • Ver perfil
Re:[D&D] Eberron
« Resposta #8 Online: Março 15, 2012, 09:01:24 pm »
Esse tópico me dá vontade de fazer o mesmo com Ravenloft. Mas tirando eu, o Gladius, o Backbird e o Madruga - se não me engano, Pichu também - quase ninguém conhece do cenário para debater um pouco.

Já vi alguma coisa de Eberron mas nunca me aprofundei. Acredito que seria o terceiro cenário depois de Ravenloft e Planescape na minha preferência de jogo.


GLADIUS - pergunta Gladius

Pergunta o Gladius joga máfia mas o RPG e Spell sendo que Gladius??

Re:[D&D] Eberron
« Resposta #9 Online: Março 16, 2012, 02:16:42 am »
Citar
Eberron é um cenário no qual nunca joguei nem li os livros básicos, e mesmo assim adoro. O conhecimento que tenho vem só de textinhos que vejo aqui ou ali (tipo esse do elven) e do DDO (que infelizmente não consegue passar todo esse feeling até o nível em que eu joguei, exceto a parte das casas e facções diversas)....

Já vi alguma coisa de Eberron mas nunca me aprofundei. Acredito que seria o terceiro cenário depois de Ravenloft e Planescape na minha preferência de jogo.

Existe uma ótima forma de se remediar isso e ao que tudo indica, é legal (eu achei por anos que era ilegal, mas depois de ver um tópico só para isso na WotC e sem nenhum moderador atacando, presumo ser legal). Leiam The Grand History of Eberron.

Citar
OBS: Esse é um tipo de post que não vai gerar muita discussão, mas seria perfeito para ficar na página inicial...

Se quiserem colocar lá, sintam-se livres. Eu tentei fazer o post inicial o mais "amigável a novatos" possível.

Offline Rain

  • “Nada é verdade, tudo é permitido”.
    • Ver perfil
Re:[D&D] Eberron
« Resposta #10 Online: Março 16, 2012, 02:57:43 am »
Opa, desculpa ai Elven, eu li rápido e nem chequei o texto completo  :dança:
Também concordo que este tópico poderia fazer parte da pagina principal, ta bem legal e com ilustrações bacanas!
"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância."
"Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância."

                                                        Sócrates

Re:[D&D] Eberron
« Resposta #11 Online: Março 16, 2012, 07:09:12 am »
Citar
Ô, até que sim. Mas não na fantasia medieval sem "desvirtuar" (leia-se, deixar interessante) o cenário.

Forgotten Realms tem Meio-Golems, inclusive um dos protagonistas da série Rage of Dragons é um dele. Bom, só falta o Trem Mágico, mas isso pode ser improvisado por gnomos lantaneses.

Contudo, deixando piadas toscas com Forgotten Realms, aqueles aqui que não leram Eberron ainda... o que se interessam em saber do cenário? Raças? Religiões? Nações? Antagonistas? Organizações?

Offline Agnelo

  • Pai
  • O que se escreve num campo desses?
    • Ver perfil
Re:[D&D] Eberron
« Resposta #12 Online: Março 16, 2012, 08:16:52 am »
Eu queria saber mais sobre as casas e as dragonmarks.

Acaba se diluindo no meio de tanta coisa legal que há em eberron, mas ainda assim parece um diferencial bacana de eberron.
Eu amo você. Tenho orgulho de você. Você trouxe à sua mãe e a mim mais alegria do que eu achei que houvesse. Seja bom pra ela e cuide bem dela.

Seja um dos mocinhos. Você tem que ser como John Wayne: Não aguente merda de nenhum idiota e julgue as pessoas pelo que elas são, não pela aparência.

E faça a coisa certa. Você tem que ser um dos mocinhos: Porque já existem Bandidos demais.

Re:[D&D] Eberron
« Resposta #13 Online: Março 16, 2012, 09:35:48 am »
Bom, eu devo detalhar as Casas um pouco depois, mas vamos à natureza das Marcas:

1. De alguma forma, elas são ligadas ao continente de Khorvaire (o continente principal do cenário). É um mistério do cenário, mas somente nesse continente (e na ilha de Aeranal, que é bem próxima de Khorvaire) as marcas se manifestaram em certas raças. E também de alguma maneira, devem estar ligadas com a Profecia Draconônica.

2. Ao que tudo indica, as Marcas são bastante ligadas à certas linhagens. As 13 Casas são a prova mais clara que há um certo fator hereditário nisso, assim como a relativa estabilização dos poderes das marcas em cada linhagem. Contudo, ao menos uma das Marcas (Mark of Finding, da Casa Tharashk) se manifesta em duas raças diferentes (Meio-Orcs e Humanos).

3. Além das marcas normais (possuídas pelas Casas), existem dois casos especiais de Marcas: As Marcas de Siberys, que são dotadas de poderes excepcionais e imensos, e aparecem de forma errática nas linhagens da Casas - e nunca aparecem em alguém que já tenha uma Marca. E também existem as Marcas Aberrantes, que podem aparecem em qualquer raça e manifestam poderes notavelmente destrutivos. Isso dá uma forte sugestão que as Marcas são ligadas aos 3 Dragões: As Marcas normais são ligadas a Eberron, as Marcas de Siberys são ligadas à Siberys (duh!) e as Marcas Aberrantes são ligadas à Khyber.

Offline Metal Sonic

  • 天元突破グレンラガン
  • "WHO THE HELL YOU THINK I AM?"
    • Ver perfil
Re:[D&D] Eberron
« Resposta #14 Online: Março 16, 2012, 10:13:12 am »
Achei isso aqui bem curioso, e digno de comentário:

Citar
Authority Equals Asskicking: Mostly averted. Keith Baker himself claims, "The general premise in Eberron is that influence does not equal personal physical power. Typically, the king won't be the mightiest warrior in the kingdom (Boranel aside)." And many groups like the Aurum have their power based on money and influence rather than personal power. However, the trope is played straight in the following instances:

    *Loli Pope Jaela Daran—normally a 3rd level character—gains the powers of an 18th level character within the walls of Flamekeep simply by virtue of being the head of the Silver Flame church. To top it off, she is eleven years old. YOU READ IT RIGHT, AN ELEVEN YEAR-OLD CHILD IS STRONGER THAN YOUR INITIAL PC.
    *The talking tree Oalian is the leader of the Druid sect called "The Wardens of The Woods" and is a level 20 Druid, making him the highest level character whose level is explicitly revealed in the campaign guide (Erandis Vol has templates that give her a higher effective character level, but that only matters for XP).
    *In 4E, the Lord of Blades is now level 21. They also retained the whole "level 11 is legendary status" thing, so that makes him even more awesome.
    *An article in Dragon Magazine had statistics for one of the rakshasa rajahs, the fiends the Lords of Dust hope to free (or siphon power from). In a campaign setting where level 10 is considered masterful and level 15+ legendary, the rajahs are level 60. Make note that 20 is the traditional level cap of the system, and though supplemental rules do allow for and support higher levels, these officially only go up to level 40 for PCs. This puts them literally on par with gods who rarely have more than 60 levels, and only a few are even that high.
    *And let us not go without mentioning the city of Io'lokar in Argonnessen. A city built of five tiers, each tier with more and more powerful residents. The lowest level tier has an average level for its resident (in 3.5e) of between 8 and 11. That's right. The Lord of Blades is level 12, and the lower to lowest residents of this city can make him sweat. That doesn't even get into the next tiers, which go from 12-15, 15-17, 18-19, and 20+. And the high council that runs the city ranges from high level to epic level in scope. One of the NPCs on the council has twenty-nine levels to his name. 29. He may just be the highest-level character around short of the Rakshasa Rajahs themselves. Woe betide the adventurer, or party of adventurers, who thinks they can attack this city. It's perhaps best for everybody else in Eberron that the residents have little to no interest in the outside world.

E eu achando que os níveis dos vilões de Tormenta exagerados!  :bwaha:

E essa cidade é uma idéia estúpida.
« Última modificação: Março 16, 2012, 10:14:50 am por Metal Sonic »
"My drill is the drill that will pierce the heavens!"