Autor Tópico: Política, tópico permanente  (Lida 65568 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Assumar

  • Quid inde?
    • Ver perfil
Depois de barrar "CQC", Câmara discute veto à entrada do programa nesta quarta
« Resposta #420 Online: Fevereiro 27, 2013, 06:20:30 pm »
Citar
Depois de barrar "CQC", Câmara discute veto à entrada do programa nesta quarta-feira.


 O Congresso, depois da festa com a blogueira cubana, discursos sobre transparência e liberdade de expressão, através da mesa da Câmara, barrou a entrada do CQC. Uma equipe do programa, no dia 20, quarta-feira passada, não teve o acesso permitido, o que causou enorme surpresa e decepção em todos.

Foi a primeira vez que isso aconteceu. Há uma informação que este assunto estará em pauta na reunião da Mesa Diretora, prevista para amanhã, quarta-feira (27), em Brasília.

Procurado, Marcelo Tas, âncora do programa, ainda se mostra surpreso com tudo. "Fiquei procurando aqui, acredite, uma razão para isso e não encontrei", disse. "Sempre tivemos uma excelente relação com a Câmara, ao contrário do Senado. Temos vários deputados que colaboram com as nossas reportagens mesmo sendo constantemente criticados, como é do feitio do programa."

E prossegue:" A discussão se o 'CQC' deve ou não fazer a cobertura do Congresso me remete ao início da minha vida profissional, início dos anos 80, onde eu fazia exatamente este tipo de cobertura, misturando humor e jornalismo, na pele do repórter Ernesto Varela, quando ainda vivíamos os resquícios da Ditadura, é importante lembrar. Não podemos agora, em plena vigência do regime democrático, retroceder neste quesito.'

Por fim, Tas se mostra confiante num desfecho positivo para o caso. "Prefiro confiar na sensibilidade da Mesa Diretora e dos deputados que sabem que uma grande parcela de brasileiros, especialmente jovens eleitores, foram despertados para a discussão política acompanhando o 'CQC'.", disse. "Creio que todos nós que lutamos, conquistamos e prezamos pela liberdade de imprensa não podemos nos conformar com qualquer tipo de restrição ao trabalho da equipe do CQC ou qualquer um que vise divulgar o que acontece na Casa do Povo."

E completa: "Estive essa semana em Washington, onde visitei o Museu do Jornalismo, o Newseum. Lá encontrei, uma definição de jornalismo quero compartilhar com você: 'Notícia é o que alguém, em algum lugar, quer evitar que seja publicada - Lord Northcliffe, publisher inglês do início do século 20'".

Fonte: http://televisao.uol.com.br/colunas/flavio-ricco/2013/02/26/camara-discute-proibicao-do-cqc-em-plenario-nesta-quarta-feira.htm
"Sonhos são o que temos." Jojen Reed

Offline Assumar

  • Quid inde?
    • Ver perfil
Rede FALE
« Resposta #421 Online: Março 08, 2013, 11:05:15 pm »
Citar
"Nós, da Rede FALE, somos evangélicos/as oriundos de diversas igrejas evangélicas, tradicionais e pentecostais, que militam no campo dos direitos humanos. A Rede FALE foi criada inspirada no texto de Provérbios 31.8-9 há 10 anos e tem como vocação ser um testemunho do engajamento e da fé dos cristãos na sociedade brasileira. Um dos elementos centrais de nossa ação é a compreensão que a oração é um poderoso instrumento para mudar a realidade, reunindo em nossas ações a mobilização de grupos para reuniões de oração, como também para manifestações e ações públicas.

Neste contexto recebemos com interesse a notícia de que o PSC seria responsável pela presidência da CDHM. Temos a convicção de que a base da garantia dos Direitos Humanos está no reconhecimento da sacralidade da Vida, que provém, como cremos, da imagem e semelhança de Deus que todo ser humano possui (Gn 1.26-27). Acreditamos também que a maneira como tratamos outro ser humano é reflexo de nossa atitude para com o Criador.

Desprezar o primeiro é desrespeitar o segundo (cf. Pv. 14.31; Tg 3.9). Os exemplos históricos de cristãos envolvidos com os Direitos Humanos são vários, figuras como a do pastor batista Martin Luther King Jr. ou do bispo anglicano Desmond Tutu nos inspiram por exatamente colocarem a fé como o motor para suas ações de promoção e defesa dos direitos.

Os necessários avanços dos Direitos Humanos no Brasil poderão acontecer sob a gestão do PSC e, para tanto, nos parece estratégico ouvir o clamor das ruas e dos movimentos sociais com respeito à escolha, pelo partido, de um nome que não traga tamanha carga negativa para a presidencia da Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

O PSC possivelmente possui em seus quadros outros parlamentares que possam assumir a presidencia da comissão, e que poderiam contribuir com uma postura conciliadora e propositiva, na qual Cristo tem sido nosso maior exemplo. Parlamentares mais experientes e entendidos dos ritos e processos da casa também seria um importante critério, considerando o destaque que a comissão possui.

Prezado irmão, escrevemos aqui sob o temor ao nosso Deus e conscientes de que há um caminho de consenso para esta situação. A ninguém, e muito menos aos direitos humanos, interessa que seja estabelecida uma disputa entre posições extremas, ou mesmo entre visões que se percebem antagônicas.

Em oração para que Deus os cuide e ilumine nessa importante tarefa que têm pela frente, despedimo-nos,

Em Cristo,

Coordenação Nacional da Rede FALE"

Fonte: http://br.noticias.yahoo.com/evang%C3%A9licos-criam-abaixo-assinado-contra-marco-feliciano-214946943.html
"Sonhos são o que temos." Jojen Reed

Offline Skar

  • Hail!!! O Tubarão
    • Ver perfil
Re:Política, tópico permanente
« Resposta #422 Online: Março 08, 2013, 11:47:46 pm »
Afinal a ele não deve assumir o cargo por que a população não deseja. Não é por que le tem opiniões que vão na via contrário ao objetivo daquela mesa de discussão.
The essentials for a productive discussion:
•    Tact: Be friendly, helpful, and cooperative.
••    Candor: Be frank and sincere.
•••    Intelligence: Think before you speak.
••••    Goodwill: Reasonable people can disagree.
•••••   Reception: Listen to what others are saying, not to what you think they're saying.

Offline Assumar

  • Quid inde?
    • Ver perfil
O que acham?
« Resposta #423 Online: Março 28, 2013, 02:23:12 pm »


A violência do CQC contra o deputado José Genoíno alcançou, essa semana, um grau de bestialidade que não pode ser dimensionado à luz do humorismo, muito menos no campo do jornalismo. Isso porque o programa apresentado por Marcelo Tas, no comando de uma mesa onde se perfilam três patetas da tristeza a estrebuchar moralismos infantis, não é uma coisa nem outra.

Não é um programa de humor, porque as risadas que eventualmente desperta nos telespectadores não vem do conforto e da alegria da alma, mas dos demônios que cada um esconde em si, do esgoto de bílis negra por onde fluem preconceitos, ódios de classe e sentimentos incompatíveis com o conceito de vida social compartilhada.

Não é jornalismo, porque a missão do jornalista é decodificar o drama humano com nobreza e respeito ao próximo. É da nobre missão do jornalismo equilibrar os fatos de tal maneira que o cidadão comum possa interpretá-los por si só, sem a contaminação perversa da demência alheia, no caso do CQC, manipulada a partir dos interesses de quem vê na execração da política uma forma cínica de garantir audiência.

A utilização de uma criança para esse fim, com a aquiescência do próprio pai, revela o grau de insanidade que esse expediente encerra. O que se viu ali não foi apenas a atuação de um farsante travestido de jornalista a fazer graça com a desgraça alheia, mas a perpetuação de um crime contra a dignidade humana, um atentado aos direitos humanos que nos coloca, a todos, reféns de um processo de degradação social liderado por idiotas com um microfone na mão.

A inclusão de um “repórter-mirim” é, talvez, o elemento mais emblemático dessa circunstância, revelador do desrespeito ao ofício do jornalismo, embora seja um expediente comum na imprensa brasileira. Por razões de nicho e de mercado, diversos veículos de comunicação brasileiros têm lançado, ao longo do tempo, mão dessa baboseira imprestável, como se fosse possível a uma criança ser repórter, ainda que por brincadeira.

Jornalismo é uma profissão de uma vida toda, a começar da formação acadêmica, a ser percorrida com dificuldade e perseverança.

Não existem repórteres-mirins, como não existem médicos-mirins, advogados-mirins e engenheiros-mirins.

Jornalismo é uma profissão de uma vida toda, a começar da formação acadêmica, a ser percorrida com dificuldade e perseverança. Dar um microfone a uma criança, ou usá-la como instrumento pérfido de manipulação, como fez o CQC com José Genoíno, não faz dela um repórter – e, provavelmente, não irá ajudá-la a construir um bom caráter. É um crime e espero, sinceramente, que alguma medida judicial seja tomada a respeito.

Existem, sim, cretinos adultos.

E, a estes, dedico o meu desprezo e a minha repulsa, como cidadão e como jornalista.

por Leandro Fortes

Fonte: http://www.viomundo.com.br/denuncias/leandro-fortes-o-nazijornalismo-do-cqc.html
"Sonhos são o que temos." Jojen Reed

Offline Skar

  • Hail!!! O Tubarão
    • Ver perfil
Re:Política, tópico permanente
« Resposta #424 Online: Março 29, 2013, 12:10:13 am »
Começarei a ver CQC, a partir de agora.
The essentials for a productive discussion:
•    Tact: Be friendly, helpful, and cooperative.
••    Candor: Be frank and sincere.
•••    Intelligence: Think before you speak.
••••    Goodwill: Reasonable people can disagree.
•••••   Reception: Listen to what others are saying, not to what you think they're saying.

Offline Malena Mordekai

  • Malena Mordekai Transphinx
  • everytime i close my eyes wake up feeling so h
    • Ver perfil
Re:Política, tópico permanente
« Resposta #425 Online: Abril 05, 2013, 12:04:52 am »
MÍTICO!

Citar
BUENOS AIRES - "Esta velha é pior que o caolho". A insólita frase foi dita nesta quinta-feira, 4, pelo presidente do Uruguai, José Mujica, em alusão à presidente argentina, Cristina Kirchner, e seu marido, morto em 2010, o ex-presidente Néstor Kirchner, que tinha o estrabismo como uma de suas mais famosas marcas físicas. Mujica, conhecido por seus comentários sinceros - geralmente fora de protocolo - fez estas declarações durante uma reunião com o prefeito da cidade uruguaia de Florida e outros políticos sem perceber que os microfones estavam ligados e que a imprensa ouvia suas observações sobre a dificuldade nas relações do Uruguai com a Argentina.

"O caolho era mais político...esta velha é mais teimosa", acrescentou Mujica em relação ao casal Kirchner. O presidente uruguaio também indicou que sempre que precisa resolver algo com a Argentina precisa pedir ajuda ao Brasil. "Não vou dar bola nem percorrer o mundo esclarecendo coisa alguma", disse Mujica aos jornalistas minutos depois, quando soube que sua frase havia sido ouvida. Até o final desta tarde, o governo argentino mantinha silêncio sobre as frases do uruguaio.

Mujica também ironizou a recente viagem de Cristina Kirchner à Roma, onde reuniu-se com o cardeal Jorge Bergoglio, entronizado como papa Francisco, a quem entregou de presente uma cuia de chimarrão com uma bomba. Na ocasião, Cristina explicou detalhes sobre como beber chimarrão a Bergoglio, que sempre tomou esta infusão clássica dos Pampas. "Para um papa argentino, com 77 anos de idade, ela (Cristina), vai explicar o que é uma cuia e uma garrafa térmica?"

Logo após os comentários, Mujica tornou-se um virtual herói nas redes sociais, onde sua frase era celebrada no Facebook. No Twitter, virou hashtag, "#EstaViejaEsPeorQueElTuerto" (#EstaVelhaEPiorQueOCaolho).

Ao longo dos últimos anos, o Uruguai sofreu uma saraivada de medidas protecionistas comerciais por parte do governo da presidente Cristina. O antecessor de Mujica, Tabaré Vázquez (2005-2010), enfrentou um virtual bloqueio na fronteira argentina por parte de manifestantes estimulados pelo governo Kirchner que protestavam contra uma hipotética poluição de uma fábrica de celulose instalada no rio Uruguai, que divide os dois países.

Em 2002, com a pequena economia uruguaia afetada pelo colapso financeiro argentino, o presidente Jorge Batlle causou polêmica ao declarar que "os argentinos, do primeiro ao último, são ladrões". Batlle teve que viajar à Buenos Aires, convocado pelo então presidente Eduardo Duhalde (2002-2003), para pedir desculpas. No entanto, Batlle conseguiu esquivar o pedido, chorando em público enquanto rememorava os tempos nos quais havia residido na capital argentina.

Relação bilateral. Há poucas semanas, a primeira-dama do Uruguai, a senadora Lucia Toplansky - famosa por não ter papas na língua, tal como seu marido - declarou que a relação com a Argentina "era muito complicada" e criticou as barreiras que o governo Kirchner coloca à integração regional.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao visitar o Uruguai nesta quinta-feira, defendeu a integração do Mercosul e declarou que "nunca viu ninguém como Mujica".

Perfis. Os analistas destacam que os dois presidentes, embora conjunturais aliados no Mercosul, possuem perfis de vida extremamente diferentes. Mujica esteve preso durante 13 anos, entre 1972 e 1985 em diversos cárceres da ditadura uruguaia, onde foi brutalmente torturado. No mesmo período a presidente Cristina Kirchner enriqueceu como advogada na Patagônia executando hipotecas de pessoas falidas pela política econômica do regime militar argentino.

Enquanto Cristina tem apreço pelas grifes de luxo (é a segunda presidente mais rica da América do Sul, segundo dados da declaração oficial de bens), Mujica mora em um casebre em sua chácara. Há poucos anos trocou sua lambreta por um Volkswagen modelo 1982.

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,mujica-diz-que-cristina-kirchner-e-velha-pior-que-o-caolho,1017033,0.htm



EDIT

Depois de ler o que tava desatualizado no tópico, fico impressionado com o fervor dos antiestatistas da Spell. Parece uma coisa até religiosa. Seriam filiados ao LIBER?
(Se alguém for, não vou ficar discutindo, eu só queria saber, pra rir, rs)
« Última modificação: Abril 05, 2013, 12:25:25 am por publicano »
DEVORAR PARA DECIFRAR
DEVOUR TO DECIPHER

https://www.furaffinity.net/user/transphinx/

interesses rpgísticos atuais: FATE, DnD 5e, GUMSHOE System, DnD 4e, Storytelling System (CoD), Powered by the Apocalypse, UNSAFE

Re:Política, tópico permanente
« Resposta #426 Online: Abril 05, 2013, 12:05:35 pm »
Se o povo é antiestatista aqui, fico imaginando o que pensam à respeito da Ditadura Militar.
Micro Máfia Resident Evil chegando!

Re:Política, tópico permanente
« Resposta #427 Online: Abril 05, 2013, 01:38:17 pm »
Citar
Se o povo é antiestatista aqui, fico imaginando o que pensam à respeito da Ditadura Militar.

Um maravilhoso período da Nação Brasileira, onde havia respeito à Pátria, à Ordem e aos Bons Costumes e as Pessoas de Bem estavam livre da influência nefasta dos PTralhas e do Foro de São Paulo.
« Última modificação: Abril 05, 2013, 01:57:27 pm por Stormbringer »

Re:Política, tópico permanente
« Resposta #428 Online: Abril 05, 2013, 01:46:30 pm »
Gostei de você, Stormbringer.  :mrgreen:
Micro Máfia Resident Evil chegando!

Offline Skar

  • Hail!!! O Tubarão
    • Ver perfil
Re:Política, tópico permanente
« Resposta #429 Online: Abril 05, 2013, 06:25:17 pm »
Se o povo é antiestatista aqui, fico imaginando o que pensam à respeito da Ditadura Militar.

Ei, sou Estatista. Só não acho que precisamos de uma babá tempo integral.

O que penso de quase todas ditaduras governo incompetente para organizar suas contas e altamente corrupto. Ainda acho que o militares brasileiros foram, surpreendentemente, muitos inteligentes na gestão da vida politica, o que já os coloca um pouco melhor que os ditadores típicos.
The essentials for a productive discussion:
•    Tact: Be friendly, helpful, and cooperative.
••    Candor: Be frank and sincere.
•••    Intelligence: Think before you speak.
••••    Goodwill: Reasonable people can disagree.
•••••   Reception: Listen to what others are saying, not to what you think they're saying.

Offline Malena Mordekai

  • Malena Mordekai Transphinx
  • everytime i close my eyes wake up feeling so h
    • Ver perfil
Re:Política, tópico permanente
« Resposta #430 Online: Abril 05, 2013, 06:34:19 pm »
Quanto a como veem hoje a ditadura do passado, acho engraçado quando vejo gente vociferando contra a corrupção do governo civil e dizendo que na época dos militares não havia isso.
Mas se o próprio Geisel disse que a abertura seria a única forma de escapar da corrupção que havia tomado o meio militar... é irônico.

« Última modificação: Abril 05, 2013, 08:11:35 pm por publicano »
DEVORAR PARA DECIFRAR
DEVOUR TO DECIPHER

https://www.furaffinity.net/user/transphinx/

interesses rpgísticos atuais: FATE, DnD 5e, GUMSHOE System, DnD 4e, Storytelling System (CoD), Powered by the Apocalypse, UNSAFE

Re:Política, tópico permanente
« Resposta #431 Online: Abril 05, 2013, 06:34:59 pm »
Não falei que você era, Skar.  :laugh:
Só queria saber o que o povo pensava da Ditadura e talz.
Converso com meu pai de vez em quando sobre isso e já estou suficientemente convencido de que a melhor coisa para o Brasil seria o retorno da mesma.
Micro Máfia Resident Evil chegando!

Offline AwfulNeutral

  • Fórum? Em pleno século 2019?
    • Ver perfil
Re:Política, tópico permanente
« Resposta #432 Online: Abril 05, 2013, 08:07:57 pm »
Vish, lá vem o sangue.

Eu sou altamente adepto do estado mínimo, mas tenho consciência de que as pessoas não sabem aproveitar a liberdade quando esta lhes é dada. Então essa questão me divide um pouco. Mas acho que não defenderia a volta da ditadura em hipótese alguma.

Offline Malena Mordekai

  • Malena Mordekai Transphinx
  • everytime i close my eyes wake up feeling so h
    • Ver perfil
Re:Política, tópico permanente
« Resposta #433 Online: Abril 05, 2013, 08:11:16 pm »
Alguém que defende estado mínimo com certeza não defenderia ditadura.

Eu gosto de estado parrudo com impostos escorchantes.

Eu iria dizer umas coisas, mas acho meio inútil.


EDIT

Por falar em estado mínimo, há o "mantra liberal" de que o problema do Brasil é o inchaço do setor público, pois este onera a população, diminuiu o crescimento econômico e aumenta o 'custo Brasil'.

http://pt.scribd.com/doc/17682718/IPEA-Emprego-Publico-no-Brasil-Comparacao-Internacional-e-Evolucao

Pesquisas apontam que o Brasil tem uma porcentagem de servidores públicos e de custos com os mesmos bem menores que os de países desenvolvidos como Noruega, Dinamarca, Suécia, França, Uruguai, Argentina, México e até Estados Unidos.
« Última modificação: Abril 05, 2013, 08:19:29 pm por publicano »
DEVORAR PARA DECIFRAR
DEVOUR TO DECIPHER

https://www.furaffinity.net/user/transphinx/

interesses rpgísticos atuais: FATE, DnD 5e, GUMSHOE System, DnD 4e, Storytelling System (CoD), Powered by the Apocalypse, UNSAFE

Re:Política, tópico permanente
« Resposta #434 Online: Abril 05, 2013, 09:22:46 pm »
Citar
Gostei de você, Stormbringer. 

Todo o post acima era falso. :)

Citar
Alguém que defende estado mínimo com certeza não defenderia ditadura.

Liberais (de libertários até liberais-sociais) não são imunes à hipocrisia, cretinismo e defesas de seus interesses ao custo dos demais.

E em teoria, é possível haver uma situação de Estado Mínimo (ao menos em algumas esferas) e Ditatorial.

Citar
Depois de ler o que tava desatualizado no tópico, fico impressionado com o fervor dos antiestatistas da Spell. Parece uma coisa até religiosa. Seriam filiados ao LIBER?

Nope, o Líber é estatizante demais para mim. Por ser um partido político (ou melhor, ter as pretensão de se tornar um) ele aceita jogar pelas regras do jogo de um ajuste legal que é inerentemente antiliberal.

Detalhe engraçado e irônico é que o meu discurso acima é praticamente indistinguível de um socialista clássico ou de um anarquista.  :P
« Última modificação: Abril 05, 2013, 09:26:55 pm por Stormbringer »