Autor Tópico: Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Lamórdia)  (Lida 19234 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Cebolituz

  • [Coordenação]
  • What am I fighting for?
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #30 Online: Maio 26, 2012, 04:30:11 pm »
A velha vistani olha com atenção para o jovem giogoto. E respondendo as questões, diz:

- A Inquisição está fazendo uma limpeza étnica, e somos parte dela. Nada mais, nada menos que outra cisma desse mundo de trevas que vivemos. Os Zarovans são temidos, até mesmo por outros de nossos fraternos. A perseguição é apenas um grão pequeno de areia perto de tantas pedras enormes que ainda existem nesse mar.

Uma resposta enigmática e não muito esclarecedora. Típica de raunies vistanis.

- Giogoto, não há diferença entre o Norte e o Sul. As trevas estão em todo o lugar. As trevas estão no ar que respiramos, na nossa força de vontade, nos alimentos que comemos, nos destinos traçados e em nossa própria essência. Entendê-las é mais importante do que lutar contra elas. Os outros nos temem porque entendemos uma mera fração delas. E pelo bem dos Zarovans, continuar assim se faz necessário.

Mais uma resposta vaga e enigmática.

A vistani se retira sem despedir-se. De certa maneira, Kriger se sentiu até surpreendido pelo fato dos Zarovans serem bastante insociáveis, e os poucos ali parecem sequer se importar com a presença do estranho giogoto sem revoltarem. Zarovans odeiam estranhos, mesmo vistanis estranhos ao seu vardo.


GLADIUS - pergunta Gladius

Pergunta o Gladius joga máfia mas o RPG e Spell sendo que Gladius??

Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #31 Online: Maio 29, 2012, 05:21:39 pm »
[OFF] Por que diabos o jogo parou? Skar, se não fará mais nada, avisa. Roda esse turno. :P [/OFF]
Ruiva da Spell



Raposas Selvagens do Condado de Fox.
Todos nós usamos máscaras. Algumas tão fixadas na alma que se confundem com a face.
O importante é não esquecer da pessoa que a usa.

Offline Skar

  • Hail!!! O Tubarão
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #32 Online: Maio 29, 2012, 05:42:26 pm »
[off] Não recebi a notificação desse tópico, mil desculpas [off]

Eu vou ficar u pouco por ali conversando com eles. Depois eu vou em direção ao cassino ver como estão as coisas.
The essentials for a productive discussion:
•    Tact: Be friendly, helpful, and cooperative.
••    Candor: Be frank and sincere.
•••    Intelligence: Think before you speak.
••••    Goodwill: Reasonable people can disagree.
•••••   Reception: Listen to what others are saying, not to what you think they're saying.

Offline Cebolituz

  • [Coordenação]
  • What am I fighting for?
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #33 Online: Maio 30, 2012, 02:21:57 pm »
Tentando conversar ali, você percebe que os zarovans estão arredios e pouco amistosos, mesmo já percebendo você ser um vistani com tais origens. Os Zarovans costumam menosprezar os giogotos.

Um deles ali apenas comenta sobre saber que a Inquisição estar cada vez mais espalhando os seus tentáculos. Parece ganhar força perante giorgios.

Já meio impaciente, você deixa o acampamento e segue para o alojamento. Lá, vê Mikael comentar que as mulheres saíram para o cassino. Você deixa-o sozinho e parte para o cassino.

Chegando lá, você vê as duas mulheres bebendo um copo de vinho em um canto e muitos bêbados de olho nas beldades incomuns do ambiente. O garçom oferece mais vinho e deixa a garrafa ali para vocês. Até que o pequeno gnomo, já um pouco bêbado e irritadiço, se aproxima e comenta em Balok:

- Chegou o guarda-costas das madames? Venham jogar logo, quero ver se o sujeito aí joga alguma coisa.


GLADIUS - pergunta Gladius

Pergunta o Gladius joga máfia mas o RPG e Spell sendo que Gladius??

Offline Skar

  • Hail!!! O Tubarão
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #34 Online: Maio 30, 2012, 08:15:12 pm »
Eu vou pegar um copo de vinho e vou ficar fingindo que to bebendo. Só pra que ninguém me encha o saco.

Falo pro gnomo:
- Com essas senhoritas é mais fácil eu precisar de guarda costas falo sorrindo será um prazer jogar com o senhor, mas preciso qeu o senhor me ensine as regras.   
The essentials for a productive discussion:
•    Tact: Be friendly, helpful, and cooperative.
••    Candor: Be frank and sincere.
•••    Intelligence: Think before you speak.
••••    Goodwill: Reasonable people can disagree.
•••••   Reception: Listen to what others are saying, not to what you think they're saying.

Offline Cebolituz

  • [Coordenação]
  • What am I fighting for?
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #35 Online: Junho 01, 2012, 10:09:15 am »
- Fácil, fácil. Acompanhe-me.

O gnomo rapidamente fala das regras do jogo para Kriger. Kriger conhece o jogo, até porque, sempre gostou de todos os jogos de cartas existentes e é um especialista no assunto.

Recomeçaram os jogos:

Primeiro teste (Bluff): Kriger jogou mal e subestimou o gnomo que venceu facilmente. Um prejuízo de 8 POs ocorreu. O gnomo é esperto e condiz bem com a raça do próprio. Bom jogador de cartas, alguns até desconfiam que o gnomo se utiliza de trapaças para vencer.

Segundo teste (Bluff): Kriger levou mais a sério o seu jogo e começou a utilizar algumas técnicas de seu olhar vistani para intimidar e atrapalhar o gnomo. Kriger recuperou o dinheiro perdido e ainda lucrou 1 PO na disputa. O gnomo jurou que não perderá mais um centavo contigo e que agora a sorte irá sorrir pára ele. O povo só acompanha com cada boa jogada sendo comemorada por um bêbado qualquer.

Terceiro teste (Bluff): O gnomo sorri achando que venceria, mas Kriger demonstra um jogo sólido de pôker e ganha uma bela soma de 10 POs do gnomo. Este sai furioso, aparentemente, não costuma perder nas cartas.

As moças apenas acompanharam o duelo entre Kriger e o gnomo enquanto desfaziam as investidas de bêbados por ali. O dono do cassino diz que está fechando e pede para todos voltarem amanhã.
--------------------------------------------------------------------

OFF: muito bem gente, este foi o tempo de compras e jogatina do jogo. Se não desejarem mais nada, eu avanço até o próximo ponto da caravana e aí continuaremos a história até seguir para Lamórdia.
 


GLADIUS - pergunta Gladius

Pergunta o Gladius joga máfia mas o RPG e Spell sendo que Gladius??

Offline Malena Mordekai

  • Malena Mordekai Transphinx
  • everytime i close my eyes wake up feeling so h
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #36 Online: Junho 01, 2012, 10:43:20 am »
*OFF/
Minha personagem não fará mais nada a não ser prestar bastante atenção ao comportamento do povo do cassino e da cidade, pra ter uma ideia geral.

Por mim pode avançar.
DEVORAR PARA DECIFRAR
DEVOUR TO DECIPHER

https://www.furaffinity.net/user/transphinx/

interesses rpgísticos atuais: FATE, DnD 5e, GUMSHOE System, DnD 4e, Storytelling System (CoD), Powered by the Apocalypse, UNSAFE

Offline Cebolituz

  • [Coordenação]
  • What am I fighting for?
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #37 Online: Junho 01, 2012, 10:46:01 am »
OFF: restante que quiser fazer mais alguma coisa, pode colocar no tópico.


GLADIUS - pergunta Gladius

Pergunta o Gladius joga máfia mas o RPG e Spell sendo que Gladius??

Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #38 Online: Junho 01, 2012, 12:04:45 pm »
Nahsha só acompanha observa o jogo de Kriger com o Gnomo. Ela queria comprar roupas melhores, mas desistiu da ideia. Ela aguarda a chegada da caravana para Lamórdia.

[OFF] Pode avançar, Cebola [/OFF]
Ruiva da Spell



Raposas Selvagens do Condado de Fox.
Todos nós usamos máscaras. Algumas tão fixadas na alma que se confundem com a face.
O importante é não esquecer da pessoa que a usa.

Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #39 Online: Junho 01, 2012, 12:55:29 pm »
OFF: Mikael irá rezar, como dito, da forma apropriada. Ele irá esperar os demais e vai dormir o mais cedo possível assim que todos voltarem.

Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Sem destino ainda)
« Resposta #40 Online: Junho 01, 2012, 04:54:17 pm »
OFF: No máximo, Agnès compra alguma roupa melhor para Dementlieu, que fica no caminho para Lamordia, e aproveita pra tocar músicas pra ganhar uns trocados.

Offline Cebolituz

  • [Coordenação]
  • What am I fighting for?
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Lamórdia)
« Resposta #41 Online: Junho 02, 2012, 04:01:14 pm »
Todos se recolhem aos seus aposentos e aguardam até o outro dia. Lamórdia vai exigir uma viagem longa e isso deverá cansar logo os aventureiros.

Na taverna, fazem suas últimas refeições do outro dia e aguardam a caravana que chega. Pagam cada um 8 POs até Dementlieu. De lá, terão que seguirem sozinhos até Ludendorf.

A caravana dessa vez aparece com muitos halflings, alguns gnomos e alguns eladrins e elfos do Sul. Humanos parecem minoria nas carruagens. É uma caravana enorme, por volta de 200 passageiros no total com várias carruagens. Todos parecendo famílias migrando para outras regiões do Núcleo.

Vocês embarcam sem muita conversa e partem. A próxima parada da carruagem é, coincidentemente, Saint Ronges, a cidade de onde vieram. Lá, Agnès se lembra de seus vestidos e desce rapidamente para buscá-los enquanto embarcam e desembarcam mais gente. Vê o velho alfaiate que achou que a mulher não apareceria mais e pega suas roupas.

Vocês seguem em viagem. A noite, fazem paradas em pequenos vilarejos para dormirem ou alguns mesmo dormem em suas carruagens ou em pequenos acampamentos fora da estrada. Não dá para ter conforto em viagens dessa maneira. Agnès toca em algumas noites em vilas. Consegue 2 POs de algumas pessoas.

Chega a um momento, próximo a fronteira com Dementlieu, e as neblinas aumentam. Um misto de temor com ódio atravessa os seus corações. Aquelas neblinas lhes fazem ter lembranças horríveis de eventos passados em Richemulot. A agonia por auqilo passar logo toma conta de vocês.

*Rola d100 para ver se conseguiram atravessar a fronteira

De repente, uma nova imagem aparece para vocês. Aquelas grandes florestas de pinheiros desaparecem e agora florestas temperadas de planícies baixas e arbustos em meio a campos surgem a sua frente. Um terreno mais arenoso, próximo as praias são as terras de Dementlieu. Agnès se mostra feliz por passar pela sua região e moradia. O clima parece menos frio do que em Richemulot e os ventos são mais fracos. É outono, mas Dementlieu tem uma temperatura mais agradável do que a mais fria Richemulot.

Por volta de 5 dias de viagem e ocorre a chegada em Port a Lucine. Ali, a maior parte dos viajantes do Sul descem. Alguns parecem permanecer em Port a Lucine, outros paracem rumar para Mordent ou para Darkon passando por Lamórdia.   

Antes de seguirem para Ludendorf, vocês param em Port a Lucine. Em vistas, a cidade causa impressão pelas suas vastas bibliotecas, pinacotecas, esculturas, teatros e obras de arte do Núcleo. Todavia, Agnès sabe das redes de fofocas que existem fortemente no domínio, e adverte o restante para não se exporem demais.

A carruagem para no centro de Port-A Lucine, bem conhecida da barda. Tendo a sua residência apenas em Dordogne, sabe que um lugar onde não é nem tão rico para chamar a atenção e nem tão pobre para comerem e dormirem mal é o Manor Retreat, a alguns quarteirões dali, próximo a zona de classe média da cidade.

Vocês chegam em Port-A-Alucine por volta das 14:00. As pessoas já começam a olhá-los e observá-los. Não é incomum ver cochichos a seu respeito entre a população que observa frequentemente todos os forasteiros que chegam. Com relação a Agnès, as fofocas são mais frequentes, visto que ela já andaram muito por ali.

Chegam do Manor Retreat e uma mulher as atende. Ela indica seus quartos e vocês sobem para lá. Ajeitam-se, dão uma olhada nas cobertas (sabem né, aranhas e tal), e deitam-se para descansar em uma boa cama confortável e quartos grandes com poltrona,s cadeiras, mesas, estantes com livros, muitos quadros e algumas pequenas esculturas. Ao contrário dos estabelecimentos de Richemulot, cada um pôde ficar com um quarto separado.

Cerca de duas horas depois, alguém bate no quarto de Nahsha. É a dona da estalagem. Ela pergunta em mordentish, ao que Nahsha não compreende e responde em balok e falkovniano. Percebendo que Nahsha fala falkovniano, ela responde:

- Madame Josephine Chantreaux está no hall principal querendo falar contigo. Você a conhece, fada forasteira? - fala em um tom um pouco irônico, estranhando que uma elfa vinda de fora e não sendo nobre conhecesse a mulher.


GLADIUS - pergunta Gladius

Pergunta o Gladius joga máfia mas o RPG e Spell sendo que Gladius??

Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Lamórdia)
« Resposta #42 Online: Junho 03, 2012, 09:54:31 pm »
Nahsha boceja. Está cansada do tour pela cidade e espera pela caravana. Ela embarca, meio desanimada, meio sonolenta. Ela dorme durante a viagem. Tenta se manter confortável, mas está cada vez mais difícil para ela fingir ser agradável com os companheiros. Tudo que ela queria era voltar a lutar sozinha. Ela percebe que alguns viajantes seguem para Darkon. As lembranças de sua família voltam à tona. Uma tímida lágrima cai sobre sua face. Imaginar o atual estado deles faz com que um ódio invada seu coração.

Ao chegar em Port-A-Alucine, vão para a estalagem. A dona indica os quartos e Nahsha não demora para ir em direção do seu. Ela não sabe como se livrar dos companheiros. Ela não quer abandoná-los, porque sabe que eles serão necessários para a sua vingança, mas ao mesmo tempo, não consegue mais disfarçar seu desgosto pela companhia dos mesmos.

A porta bate e interrompe os pensamentos da Elfa. Era a dona da estalagem. Ao receber a informação, e percebendo o tom de ironia, responde, também em tom de ironia:

- Isso não é da sua conta, doce senhora. Por gentileza, leve-me até ela.

(History +10 pra saber se já li, conheci ou ouvi falar de alguma Josephine Chantreaux)
Ruiva da Spell



Raposas Selvagens do Condado de Fox.
Todos nós usamos máscaras. Algumas tão fixadas na alma que se confundem com a face.
O importante é não esquecer da pessoa que a usa.

Offline Cebolituz

  • [Coordenação]
  • What am I fighting for?
    • Ver perfil
Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Lamórdia)
« Resposta #43 Online: Junho 03, 2012, 10:42:26 pm »
A mulher odiou a forma como foi respondida. Faz uma expressão de repugnância e apenas mede a elfa da cabeça aos pés, como se demonstrando nojo pela vestimenta fora de moda, considerando aquilo típico de selvagens caipiras vindos de outros domínios de fora da riqueza artística de Dementlieu.

Apenas acenou com a cabeça e Nahsha acompanhou até o hall principal. A elfa já se lembrando e sabendo da importância da Madame Chantreaux, estranhou que ela tivesse chamado exclusivamente.

Chegando lá, a mulher vai para um canto da sala ao lado ali perto. Nahsha vê uma mulher com maquiagem pesada, típica dos nobres de Dementlieu, um longo vestido colorido de uma mulher de idade avançada. A forma como a mulher fala já demonstra uma grande força com as palavras, causando certa impressão em Nahsha.

Ao olhar a jovem elfa, os olhos de Madame Chantreaux se abrem. Ela apenas a encara por alguns segundos para logo após soltar:

- As fofocas de Dementlieu enfim demonstram a sua utilidade. Seus olhos são idênticos ao dela. Wynan... - fala em um falkovniano fluente.


GLADIUS - pergunta Gladius

Pergunta o Gladius joga máfia mas o RPG e Spell sendo que Gladius??

Re:Inquisição de Ravenloft - Arco 2 (Lamórdia)
« Resposta #44 Online: Junho 03, 2012, 10:55:12 pm »
Os olhos de Nahsha, que aparentavam um azul claro, agora mostravam um azul mais brilhante e escuro. Não era ódio, nem raiva. Era algo que a elfa não sabia explicar. Uma mistura de emoção, com curiosidade, talvez saudade. Ela manteve a postura. Não queria parecer fraca ou emocionada na frente da Madame Chantreaux. Respirou fundo e questionou:

- A senhora conheceu minha mãe?
Ruiva da Spell



Raposas Selvagens do Condado de Fox.
Todos nós usamos máscaras. Algumas tão fixadas na alma que se confundem com a face.
O importante é não esquecer da pessoa que a usa.